“ dormia na esteira de palha olhando as estrelas.
Baiana. Cresceu, raízes rebentando a terra,
saiu pelo mundo... Jéssica: a noite emprestada
à pele-madeira, o vôo, os galhos, os olhos claros,
a árvore: por dentro, por fora, inteira”
Paloma Espínola